loading
Veja os programas na sequência

A seguir! / Acompanhe tudo o que rola na Colmeia

loading

Exposição de Artes Individuais é aberta no MAC

Em 15 de junho de 2021 às 16:58 | Geral

O Museu de Arte de Cascavel (MAC) está com a “Exposição de Artes Individuais”, que permanecerá até o dia 30 de julho trazendo obras de quatro artistas com estilos únicos, mas que fazem contraponto entre elas, mostrando o universo singular de cada um.

O coordenador do museu, Antônio Carlos, explica que esta exposição faz parte dos contemplados do edital 001/2021, que selecionou os artistas. O grupo é formado pelo artista plástico Antônio Junior, fotógrafo Claitom Moraes, artista plástica Jaquelyne Lima e o fotógrafo Fabbio Novelli.

O evento contará com diversos tipos de pinturas, gravuras e fotografias

“A série de gravuras faz parte de uma investigação da figura humana e a memória afetiva, partindo de apropriações de fotografias de arquivos pessoais e familiares, conhecidos e desconhecidos. Absorvo muito tudo o que está a minha volta e são essas experiências que formam o indivíduo/artista que sou atualmente”, diz Antônio Junior, que apresentará gravuras em metal, litografia (desenho sobre pedra polida) e xilografias (desenhos entalhados na madeira).

“Sobre as fotografias que fiz para a exposição, em algumas como a Fênix houve mais trabalho na edição de cor, em outras são realizadas as devidas correções. Na composição há um trabalho em conjunto, como na Fênix que foi feita em uma cachoeira, gosto de deixar as pessoas livres para me ajudarem.” Explica o Artista Visual Experimental Fabbio Novelli sobre como funciona sua técnica.

Segundo ele, os momentos das fotos são trabalhos em conjunto e utiliza bastante o corpo humano para ilustrar suas narrativas, “o processo artístico foi coletivo”, pois não existiria obra sem o outro”. Foram seis anos de produção e contou com a ajuda de duas curadoras do Coletivo duas Marias, Malu Rebelato e Nani Nogara.

Para selecionar as melhores artes, o artista aborda o tema sobre o corpo dentro religião e liberdade. No entanto, a exposição não se resume somente nas fotografias, mas também há esculturas e videoarte onde o protagonista também é o corpo. “Um corpo que reivindica o direito de ser livre, de estabelecer seu lugar no mundo, que se transforma e se modifica”, complementa o artista.

A reportagem não conseguiu contato com artista plástica Jaquelyne Lima para falar sobre seus trabalhos.

FONTE – Secom



LEIA TAMBÉM